Março o Mês da Leishmaniose

O que é a Leishmaniose?
A Leishmaniose Canina é causada por um protozoário sanguíneo denominado Leishmania infantum, transmitido através da picada de fêmeas de insectos do género Phlebotomus, vulgarmente referidos como mosquitos. Após a picada do flebótomo no hospedeiro os protozoários caso encontrem condições favoráveis ao seu desenvolvimento multiplicam-se e disseminam-se para a pele e órgãos internos.
A atividade destes flebótomos depende das regiões e condições climatéricas. Em Portugal a sua maior atividade ocorre geralmente de Maio a Outubro. 
A Leishmaniose Canina é uma zoonose, isto é, uma doença que pode ser transmitida ao Homem pelos Animais.
           

Como se manifesta no meu animal?
A Leishmaniose Canina manifesta-se na maioria das vezes como  uma doença com manifestações cutâneas e viscerais.
A leishmaniose canina é geralmente uma doença crónica, potencialmente fatal em cães e cujos sinais clínicos podem desenvolver-se entre 3 meses a alguns anos após a infecção.
Os sinais clínicos são muito variáveis e geralmente iniciam-se com uma apatia progressiva e uma intolerância insidiosa ao exercício. As lesões da pele que são das mais frequentes, começam com uma perda de pêlo progressiva acompanhada de caspa. Alguns animais desenvolvem ulcerações no nariz e pavilhões auriculares. 
A perda de peso e a atrofia muscular são dos sinais mais frequentes quando existe um comprometimento visceral. O crescimento exagerado das unhas e perda de sangue pelo nariz também podem ser observados. 
Associado à imunossupressão causada pela própria doença advém infeções secundarias, complicando e agravando o quadro clinico destes animais, como a presença de sarnas, dermatites, gastroenterite e pneumonia.
São muito frequentes a doença renal crónica, síndromes gastrointestinais e lesões oculares concomitantes à leishmaniose.

Como é feito o diagnóstico?
O diagnóstico precoce é muito importante, pois quanto mais cedo for diagnosticada a doença, menos disseminado estará o parasita, mais sucesso terá a terapêutica e melhor será o prognóstico.
O diagnóstico é essencialmente clínico e confirmado por análises laboratoriais. Os exames laboratoriais parasitológicos destinam-se à pesquisa do parasita e/ou de anticorpos. Simultaneamente devem ser efetuadas análises de sangue e de urina para avaliar o estado geral do animal.

Em que consiste o tratamento?
A Leishmaniose Canina é fatal caso não seja tratada. O tratamento de um cão com Leishmaniose deve abordar várias vertentes. Inicialmente estes devem ser estabilizados, principalmente quando está numa fase avançada e em mau estado geral. Deve proceder-se ao controlo do parasita no organismo do cão através da instituição de farmacoterapia adequada a cada caso, através de injeções e/ou medicação oral,  definida pelo seu médico veterinário.
Infelizmente nalguns casos não é possível a eliminação total da infecção, podendo o animal apresentar recidivas, passados meses ou anos. 
Após a melhoria clínica, pode ser necessário que o cão tome comprimidos durante o resto da vida, sendo aconselhado repetir as análises para controlar a resposta ao tratamento e eventuais recaídas.

A prevenção a nossa maior aliada!
A Prevenção é a medida mais importante para a saúde do animal uma vez que os tratamentos existentes não permitem eliminar definitivamente a infecção.
Por vezes os custos associados ao tratamento de Leishmaniose podem facilmente ser superiores ao custo da prevenção da doença durante toda a vida um cão.
De entre as medidas preventivas destacam-se:
- Uso de produtos que diminuem as picadas dos flebótomo nos cães como as coleiras ou pipetas especiais. 
- Assegurar um bom estado de saúde do animal, uma boa alimentação, vacinação e desparasitação regulares são essenciais.
- Todos os animais doentes, em tratamento, ou que tenham recuperado de um episódio da doença, devem ser protegidos das picadas dos insectos. 
- Efetuar rastreios anuais da Leishmaniose Canina que permitirão um diagnóstico precoce e consequentemente um tratamento mais eficaz.
Em Portugal já está disponível uma vacina contra a Leishmaniose Canina. Se ainda não vacinou o seu cão ou alguma dúvida existir, passe pela nossa clínica que teremos o maior prazer em explicar-lhe tudo.

Mensagem a reter:
• Leishmaniose é uma zoonose
• Estamos numa zona endémica
• Pode ser fatal em cães
• Já existe vacina contra esta doença
• Nem todos os produtos do mercado protegem contra a picada do flebótomo

Egídea Guerreiro, Médica Veterinária