Oncologia

"Uma nova saída para os tumores"
Esta notícia é dedicada à oncologia e aos últimos avanços recentemente chegados à nossa clínica, que espelham o avanço na Medicina Veterinária a nível nacional. 
A abordagem a um tumor não pode ser só "vê-lo crescer", esperando que nos traga mais problemas ou por outro lado, apenas retira-lo cirurgicamente, sem tomar outras medidas. Sejam elas diagnósticas, com a realização de uma análise mais especifíca (a citologia e/ou histopatologia) e terapêuticas (quimioterapia, convencional ou não). 
Com o senso comum, e num passado relativamente recente, existia o mau hábito de classificar os tumores apenas em "malignos" ou "benignos"; felizmente hoje em dia existem outras armas que nos ajudam a reconhecer e classificar tumores, a saber um prognóstico e acima de tudo munir-nos de armas terapêuticas para minimizar os estragos que tão bem conhecemos, para assegurarmos o melhor tratamento e qualidade de vida aos nossos pacientes.  
O corpo clínico da CVC aconselha todos os seus pacientes com suspeitas tumorais (que apresentem "massas") a realização de um estudo mais específico através de citologia (estudo de células isoladas que tem como objectivo detectar anomalias morfológicas das mesmas) ou de histopatologia (estudo microscópico e macroscópico de um tecido e da sua organização).  
Com este estudo podemos sugerir o melhor plano terapêutico para o seu companheiro. 


Estas são as opções terapêuticas que temos hoje à disposição em Medicina Veterinária,  que poderão ser usadas em associação ou de forma singular, em função do animal, do caso clínico e do tumor que apresenta:
- A cirurgia - Primeira abordagem para tumores sólidos. Este tratamento cirurgico pode depois ser combinado com outros tratamento médicos (quimioterapia). 
- Imunoterapia - Estão a ser estudadas e desenvolvidas vacinas para diversos tumores. À data existem já vacinas para o melanoma canino (primeiro estudada em medicina humana e posteriormente aplicada em cães) e para o linfoma. 
- Radioterapia - Radiações semelhantes às utilizadas pelo raio-x convencional, mas de elevada energia.  Pode ser utilizada pré ou pós cirurgica ou usada ainda como tratamento único. Usado para que as células sãs recuperem as alterações e para eliminar as células malignas, assim como para reduzir o volume do tumor e aliviar sintomas como a dor ou perdas de sangue. 
- Terapias moleculares - Inibidores dos receptores de factores de crescimento (principalmente aplicados nos mastocitomas caninos). 
- Quimioterapia metronómica -  Um novo conceito de quimioterapia; trata-se de um tratamento contínuo. A grande diferença em relação à quimioterapia convencional tem a ver com os efeitos secundários diminutos que apresenta, usando uma dose máxima tolerada pelos pacientes, que são francamente inferiores às usadas pela quimioterapia convencional; esta abordagem terapêutica é também menos stressante para os animais, uma vez que na sua maioria é realizada pelos proprietários em suas casas e com administração por via oral. A quimioterapia metronómica pode ser usada em vez da cirurgia ou por outro lado após uma cirurgia. 
- Suplementos nutricionais - Existem hoje ainda mais cuidados com os pacientes oncológicos, nas mais diversas frentes. Para combater os efeitos secundários da patologia e por outro lado os efeitos secundários que estão associados aos diversos tratamentos, usamos hoje medicamentos de última linha para que o seu companheiro tenha ao seu dispor a melhor nutrição e os melhores suplementos. Estes suplementos ajudam também o sistema imunitário (usando por exemplo suplementos à base de extrato de gérmen de trigo fermentado). 
Com estes tratamentos não conseguimos sempre uma cura completa, mas conseguimos atrasar a evolução do tumor e, em tumores malignos, a respectiva metastização (quando as células cancerosas não se limitam a um único local e se alastram para outros orgãos). Acima de tudo queremos dar ao seu companheiro mais qualidade de vida e aumentar a esperança média de vida. 
Pode contar conosco para estarmos ao seu lado em mais uma luta. 
Nós acreditamos!!!

Nota - Existem, já no mercado e em estudo, outros tratamentos que não referênciamos no artigo por acharmos que não são uma novidade ou porque não estão estudados de forma a que possamos dar um feed-back de confiança. 


José Branco, Médico Veterinário